São Paulo: +55 11 4172-5533 | Demais Localidades: +55 3003-0618 contato@mypetsnanny.com.br

No mundo moderno de hoje e nas grandes cidades os problemas psicológicos estão cada dia mais afetando nós seres humanos. É estresse, ansiedade, pânico, depressão, etc. Esses problemas não estão afetando apenas nós, mas também nossos amigos de 4 patas! Um dos principais problemas relatados por donos de animais, é a ansiedade de separação, mas será que seu cachorro sofre desse problema? Veja aqui como identificar e tratar o problema.

Sinais de ansiedade de separação:

1- Ao sair de casa ele destrói as coisas?

2- Os vizinhos tem reclamado constantemente dos latidos do seu cão assim que você sai de casa?

3- Lambe sem parar as patas?

4- Quando você não está outras pessoas relatam que ele não come, não brinca, parece triste?

5- Tenta fugir da casa, às vezes se arriscando, pulando janelas, portões, e muitas vezes se machucando de desespero?

Por que isso acontece?

Os cães vivem em bandos na natureza, eles caçam em grupo, andam em grupo, vivem sempre uns com os outros, quando colocamos um cão em nossa casa ele instintivamente fará com que nós viremos o bando dele. Ele não consegue entender porque o “bando” dele saiu sem ele e o deixou para trás, na cabecinha dele, isso é ruim, mostra que algo está errado com ele, e ele correrá risco de vida ficando sem seu “bando”. Nessa hora bate esse desespero, o cão se estivesse na natureza sairia correndo em busca de seu bando, porém preso em uma casa ele fará o que pode para sair dali, mesmo que isso seja arranhar a porta até sair sangue das patas, ou latir insistentemente para chamar seu bando de volta.

O que fazer nesses casos?

Claro que a primeira coisa que pensamos é, “meu cão não pode ficar sozinho nunca“, porém o ideal é que ele consiga sim aprender a ficar sozinho um pouco, sem ficar estressado, os cães embora andem em bandos conseguem ficar bem sozinhos. Tente acostuma-lo desde filhote a ficar alguns períodos sozinho, seja a noite na hora de dormir. No início ele vai chorar, mas com o tempo perceberá que você vai, mas você volta, e isso se tornará algo comum em sua rotina.

Mas se seu cão é adulto e já tem esse problema o ideal é que ele seja visto a cada 4 horas por você ou por um profissional como um pet sitter ou adestrador, durante essa visita ele precisará de um grande gasto de energia e muita interação.

Se você vai viajar pense no que será melhor para ele, alguns cães pioram num ambiente novo, como hotéis ou hospedagens domiciliares, já outros cães ficam melhor. Se seu cão fica pior, tentando fugir daquele local, o ideal é que ele permaneça em sua casa, e seja cuidado várias vezes por dia lá, já que é um ambiente já conhecido por ele, e que tem os cheiros que ele conhece.

Cuidado para não piorar essa ansiedade, a maioria dos clientes se penalizam com seus cães, acham que porque ele morou na rua, ou porque saiu de sua mãe muito novo, ou porque se machucou em uma crise, são motivos de dó. Porém ter dó e demonstrar isso para seu cão só irá potencializar ainda mais o problema. Por mais difícil que isso seja, tente não fazer carinho na hora que ele estiver muito agitado e eufórico, como por exemplo quando você retorna para a casa, prefira dar o carinho no momento em que ele esteja calmo, com isso você mostrará que aquele comportamento é o melhor. Tente também não ficar longos minutos se despedindo, isso só vai iniciar o processo de ansiedade nele.

Um cão cansado tem menos energia e tempo para gastar com o estresse de ficar sozinho, então tente tirar essa energia todos os dias dele, ou contrate um profissional de dog walker, pet sitter ou adestrador para isso.

Converse com seu veterinário, ele poderá auxilia-lo com certos medicamentos que poderão ajudar nesse processo.

Não desista!! Tratar certos problemas demandam tempo e persistência, então qualquer progresso que notar veja como algo positivo e continue nesse caminho!