São Paulo: +55 11 4172-5533 | Demais Localidades: +55 3003-0618 contato@mypetsnanny.com.br

O mercado pet vem crescendo, e todos os dias surgem dezenas de serviços e produtos novos, o que torna muitas das vezes, impossível acompanhar todo esse crescimento.

Os serviços são dos mais variados, banho e tosa, pet sitter, passeio, adestramento, hospedagens, veterinário em domicílio, etc!

Muitas pessoas querem aproveitar essa “onda” crescente, e criar formas de unificar esses serviços em sites de buscas para facilitar a vida de clientes na hora de encontrar esses profissionais, porém os clientes devem ficar de olho, e ter critérios bem rígidos na hora dessa contratação!

Nesse post iremos mostrar os prós e contras de cada formato, tanto para clientes quanto para profissionais da área, aqui não queremos dizer quem é melhor ou quem é pior, deixaremos que essa avaliação seja feita por cada leitor, só pontuaremos cada um de acordo com itens buscados na hora da decisão:

1- Profissionais X regiões de atendimento:

Nas plataformas não existe exclusividade de região para um profissional, como o atendimento é automatizado eles precisam ter muitas pessoas cadastradas para que o cliente não fique procurando muito pelo atendimento. Isso pode ser bom para o cliente que tem uma maior variedade, ou ser ruim pois ele pode se perder na hora da escolha correta.

Nas franquias para cada região há apenas um profissional, que faz um trabalho exclusivo, se ele não pode atender, é passado o atendimento para um franqueado de outra região.

2- Know-how dos profissionais:

Na maioria das plataformas as pessoas são autônomas, e entram a partir de um cadastro que fazem. Nessas plataformas não é exigido experiência ou habilidade, muitas vezes o profissional vai atrás de se profissionalizar por conta própria, outras vezes não. Já nas franquias todos os profissionais que entram precisam passar por treinamentos pessoalmente, tanto nas franquias de pet sitter, dog walker, hospedagem domiciliar e adestramento, é uma exigência em comum.

3- Valores para entrar na plataforma ou franquia:

Nas plataformas, para o profissional entrar ele normalmente não precisa pagar nada, apenas se cadastrar, às vezes assistir alguns vídeos que podem ou não ser pagos. Já nas franquias existe uma taxa de franquia, que dá o direito daquele profissional de ter cursos e treinamentos, de utilizar a marca, receber materiais, e participar sempre de novos treinamentos e novidades da empresa. Quando o profissional vira um franqueado, ele não é mais autônomo, ele seguirá então padrões para poder atender seu cliente, além de ter apoio da Franqueadora.

4- Suporte para cliente e profissional:

Nas plataformas normalmente esse suporte é automatizado, caso algo ocorra, o cliente ou profissional entra numa área do cliente e faz uma reclamação, que pode ser respondida rapidamente ou dentro de alguns dias. Já nas franquias esse suporte pode ser dado tanto pelo franqueado ao cliente, quanto pela franqueadora ao cliente. Os profissionais e clientes também tem canal direto com as áreas para receberem o suporte que precisam, porém normalmente esse suporte ocorre pessoalmente ou via central de atendimento (telefone). Algumas franquias, contam ainda com coordenadores que podem prestar esse suporte mais rapidamente.

5- Valores de serviços:

Varia muito, a tendência é que as plataformas estimulem os profissionais a colocarem preços baixos para conseguir o cliente. Infelizmente vemos preços às vezes muito abaixo, o que prejudica bastante o mercado. As franquias tem preços tabelados, onde todos os profissionais seguem a mesma tabela. Algumas empresas dão descontos de acordo com a quantidade de diárias contratadas. Porém muitas das vezes os preços podem ficar semelhantes já que as franquias fazem promoções e descontos também!

6- Seleção de profissionais:

Conforme citado no item 2, nas plataformas não há exigências na hora do cadastro, então normalmente não ocorre uma seleção com processos reais, o que algumas plataformas fazem é ver se o que está preenchido no cadastro bate com o jeito de trabalho da plataforma. As franquias por sua vez, como precisam ter profissionais exclusivos por região, precisam ter uma seleção maior, pois muitas vezes, várias pessoas concorrem para a mesma região. Com isso são feitas provas, entrevistas individuais, etc para concorrer a região.

7- Valores mensais pagos pelos profissionais:

Mesmo o profissional sendo autônomo dentro de uma plataforma ele precisa pagar uma % do que recebe por mês. Nas plataformas é em torno de 25 a 30%. Nas franquias isso também ocorre, e é chamado de royalties, que também giram em torno de 30%.

8- Retornos para os profissionais:

Nas plataformas, a maioria das pessoas cadastradas já trabalham com outras coisas, e acabam recebendo um extra no salário, é como um bico que a pessoa faz além do seu trabalho oficial. Nas plataformas é exigido que a pessoa tenha tempo disponível para a franquia, pois ela será na maioria das vezes seu trabalho principal, e será sua profissão, então caso a pessoa se dedique ela conseguirá retirar valores grandes, conforme descrito nesse blog.

9- Qualidade no atendimento dos Pets:

Isso acaba sendo muito individual, tanto plataformas quanto franquias tem bons e maus profissionais, não tem jeito. Talvez a diferença aqui seja a exigência que cada empresa tem com seu profissional, cobrando-os, e exigindo a qualidade nos serviços. O que aconselhamos aos clientes que irão contratar uma empresa pela primeira vez, é buscar referências, tanto com amigos/conhecidos que já tenham utilizado, como no Google que ajudará a saber um pouco da reputação das empresas.

No geral ambos os formatos tem seus prós e contras, vai do profissional o que ele quer para sua vida, e também do cliente, qual o formato mais o agrada!