São Paulo: +55 11 4172-5533 | Demais Localidades: +55 3003-0618 contato@mypetsnanny.com.br

Quando vamos adquirir um cachorro uma das dúvidas que surgem é, devo ter um cachorro macho ou fêmea? E existem muitos mitos em volta do sexo dos animais nessas horas, por isso iremos listar aqui o que é real e o que não é real, para que você faça a escolha certa na hora de ter um cachorrinho, que se adeque ao seu estilo de vida!

1- Machos são mais hiperativos que fêmeas.

Existe uma tendência dos machos sempre mais agitados que as fêmeas, principalmente na “adolescência”, onde os hormônios começam a aflorar, por volta de 1 ano. Porém aqui também irá pesar a personalidade, e raça do animal. Alguns cães como o labrador, tendem a ser mais hiperativos do que um pug por exemplo. Além disso, vemos muitas fêmeas que também são muito agitadas e fogem à regra.

2- Cães machos fazem xixi em todo lugar.

Na verdade o que ocorre aqui, é que os machos acabam demarcando mais o território que as fêmeas, porém se bem educados, desde filhotes, podem aprender a fazer xixi no local certo, e só demarcarem quando passearem na rua. Como as fêmeas não fazem essa demarcação, acreditamos que elas são mais fáceis de ensinar. Caso você adquira um novo animal, ou caso você tenha uma criança nova na família por exemplo, isso poderá provocar um retorno no comportamento de marcação de território, nesses casos a castração pode ajudar a melhorar.

3- Fêmeas são mais fáceis de ensinar.

Isso não está ligado ao sexo, e sim a inteligência do animal. Existem raças extremamente inteligentes, que aprendem com mais facilidade que outras, porém ambos os sexos aprendem da mesma forma.

3- Fêmeas entram no cio, e ficam sangrando na casa, por isso é melhor ter machos.

Aqui vale falar de alguns pontos, algumas fêmeas tem cios silenciosos, onde você não percebe o sangramento, outras uma calcinha já resolve super bem durante o período do sangramento, além disso a castração também ajudará caso essa for a grande preocupação, já que passear com uma cadela no cio poderá também, atrair cães para perto.

4- Fêmeas são mais boazinhas e menos destruidoras que os machos.

Novamente aqui não está ligado ao sexo. Machos e fêmeas podem destruir as coisas, principalmente enquanto filhotes e jovens adultos, os machos por serem mais agitados, talvez façam isso com maior frequência, e talvez precisem de mais exercício físico para gastar sua energia, porém o que contará aqui é realmente a personalidade de cada animal e o seu comportamento.

5- Fêmeas são melhores para famílias com crianças.

As fêmeas por definição tem um instinto mais maternal, o que pode trazer uma proteção e acolhimento a nova criança da casa, mas isso não significa que os machos não terão. O que é importante considerar aqui, é a dominância desse cão pela família, principalmente se a criança vier depois do cão, e esse cão for muito possessivo com seus donos. Isso poderá ser um problema, e neste caso, não está ligado ao sexo, e sim, novamente, ao comportamento do animal.

Em resumo, não há melhor ou pior na escolha entre machos e fêmeas, no geral os cães são muito semelhantes, e o que irá distinguir uns dos outros será principalmente sua raça e personalidade. O mais importante aqui é escolher de forma responsável um animal, sabendo que mesmo que você escolha uma fêmea ou um macho, ele nem sempre será como você imaginava ou queria, por isso ter certeza de que você e sua família, querem mesmo esse animal e irão cuidar dele independente de qualquer coisa, é o principal!

Andressa Gontijo – Médica Veterinária