São Paulo: +55 11 4172-5533 | Demais Localidades: +55 3003-0618 contato@mypetsnanny.com.br

Quando falamos da Doença do Carrapato nos cães e gatos podemos nos referir tanto a Erliquiose quanto a Babesiose. Além dessas o carrapato pode transmitir doenças como Lyme,  e febre maculosa, porém são transmitidas por outros carrapatos e são mais comuns em seres humanos!

Embora sejam doenças transmitidas pelo carrapato marrom (Rhipicephalus sanguineus ), a Erliquia (Erlichia) ou a Babesia não são a mesma coisa.

Ciclo do carrapato

Em ambas a transmissão é feita pela picada do carrapato, esse carrapato costuma ficar em locais como parques, praças, com grande aglomeração de animais ou mesmo dentro das casas. Cães são mais susceptíveis a terem a doença, pois passeiam mais e também não conseguem retirar facilmente o carrapato, os gatos por ficarem mais dentro de casa, e se lamberem com frequência, acabam por ter menos carrapatos e consequentemente menos as doenças, porém também podem desenvolvê-las.

Nesse vídeo a Dra Andressa Gontijo explica como retirar corretamente o carrapato da pele do animal.

Na Erliquiose o animal é infectado pela bactéria da família riquetsia gênero Erlichia, que se aloja principalmente nos glóbulos brancos do sangue do animal, já na Babesiose, o protozoário Babesia Canis se alojará nos glóbulos vermelhos do sangue do animal.

Quais os sintomas? 

Em ambos acaba sendo parecido:

  • Animal Prostrado
  • Falta de apetite
  • Emagrecimento
  • Perda de Sangue (hemorragias)
  • Anemia
  • Convulsões
  • Febre

Em ambos os casos, se o animal não for tratado rapidamente, pode levar o animal a óbito!

Diagnóstico:

O diagnóstico é feito através de exames de sangue, exame clínico, e relatos como por exemplo, que animal teve recentemente carrapatos.

Tratamento:

O tratamento dependerá de como o animal está, caso as doenças sejam diagnosticadas no início, as chances de boa recuperação do animal são grandes, normalmente é feita administração de medições orais, e logo o animal fica recuperado. Agora se o animal estiver com alguma das doenças a mais tempo, poderá ser necessário internação, e às vezes transfusão sanguínea!

Prevenção:

O ideal é que você leve o quanto antes seu pet para o veterinário examinar, caso este tenha tido contato com carrapatos.

Mensalmente você deverá utilizar produtos como antipulgas/anticarrapaticidas, para que seu pet fique protegido.

Evitar locais com grande aglomeração de pets, ou mesmo praças ou parques com muita grama

Controlar o ambiente, também será de suma importância, já que um carrapato pode colocar mais de 8000 ovos no ambiente!

Algumas dúvidas comuns:

  • Essas doenças passam para pessoas? Embora raro, já houve relatos de seres humanos com a bactéria da Erlichia sp, já na babesia, o mais comum no Homem é a Babesia microti que é transmitida pelo carrapato I. scapularis (não o marrom, comum nos animais)
  • Um único carrapato pode transmitir as duas doenças? Sim, caso ele esteja com a bactéria e com o protozoário, isso pode ocorrer, embora raro
  • Um carrapato pode causar outro problema além dessas doenças? Sim, caso não seja retirado corretamente da pele do animal, ele poderá ficar com seu ferrão preso à pele e causar problemas de pele, veja aqui qual a forma de retira-lo.
  • Depois que meu animal pega alguma dessas doenças ele fica imune de ter novamente? Não, o animal pode ter essas doenças novamente caso seja picado por um carrapato que tenha o protozoário ou a bactéria.
  • Existe vacina contra essas doenças? Não, por enquanto a única forma de prevenção são as citadas acima.