São Paulo: +55 11 4172-5533 | Demais Localidades: +55 3003-0618 contato@mypetsnanny.com.br

Cesar Millan é um grande treinador de cães nos Estados Unidos e muito conhecido no mundo por sempre ajudar os donos de animais a resolverem problemas no seu dia-a-dia.

Por isso ele escreveu em seu Blog Cesar’s Way algumas dicas sobre o serviço de dog sitter, serviço este bastante comum nos Estados Unidos, e que foi trazido pela My Pet’s Nanny para o Brasil.

“Muitas pessoas fazem do dog sitter um bico, e acabam cuidando dos cães de amigos e parentes quando estes vão viajar, porém com bastante dedicação você poderá utilizar desse trabalho como profissão, e trabalhar em tempo integral. Ter um dog sitter que possua conhecimento como primeiros socorros será de grande importância na hora do cuidado” afirma Millan.

Vejam as dicas do treinador na hora de contratar o serviço:

1- Escolhendo o dog sitter certo: Tente escolher alguém que saiba ajudar a equilibrar e acalmar seu cão quando ele ficar ansioso ou nervoso por estar longe de você. Lembre-se sobre a energia dele, e encontre alguém com energia igual. Deixar um cão hiperativo com uma pessoa idosa não é uma boa idéia, por exemplo.

O mais importante é que você certifique-se de deixar o seu cão com alguém que entende as necessidades dele. Pergunte a si mesmo se você pode confiar que esta pessoa está aderindo às suas regras, limites e limitações, ou se eles estão criando um problema por não manter a sua liderança.

2- Se a escolha for deixar na casa de alguém e não na sua casa: é uma boa ideia deixa-lo neste local em várias ocasiões antes de deixa-lo para uma estadia mais prolongada. Antes de você mudar bruscamente a rotina do seu cão (por ele ter que ficar em outro lugar que não seja a sua própria casa), acostume-o com a mudança. Desta forma, qualquer preocupação ou ansiedade de separação é evitada.

Fale com pessoas que tenham hospedado seus cães lá antes. Qual é a energia de lá? Como cheira? Como você se sentiu? Como os cuidadores agiram e reagiram com os cães lá? Eles praticam “nariz, olhos, ouvidos” e “sem contato, sem conversa, sem contato visual”, quando se encontram com novos cães? Tudo isso irá dizer-lhe o quão bem informados estão para garantir que o seu cão estará feliz lá.  Se você tiver restrições ou solicitações específicas, você deve falar. Se eles não vão poder atender suas necessidades, eles provavelmente não vão atender bem o seu cão.

3- Expectativas: Se você deixar o seu cão com um membro da família ou um amigo, certifique-se de que eles sabem dos requisitos. Se o seu cão caminha por uma hora todas as manhãs, não será satisfatório uma caminhada de 15 minutos no lugar. Na verdade, o inverso é melhor. Quando meus cães estão no rancho, por exemplo, a rotina muda. Em vez de uma caminhada de 45 minutos, vamos para uma hora e meia caminhada. Quando você muda o ambiente, é bom também mudar – e aumentar – os desafios diários, o estimulo físico e mental. Isso mantém a mente e o corpo do cão mais relaxados e eles ficam menos focados na falta de seu dono.

Tenha em mente que se você deixar o cão em um canil por um longo tempo, ele vai passar a maior parte do seu tempo no canil. Há exceções, é claro, mas isso é algo normalmente comum. Então, quando você for pegar o seu cão, ele terá um monte de energia reprimida.

Se a sua única opção é deixar o seu cão com alguém que não pode manter sua rotina de exercícios o ideal então será contratar um passeador para ajudar a compartilhar as responsabilidades.

4- Detalhes: Assim como os pais deixam uma lista de pedidos para uma babá, você poderá deixar uma lista de pedidos para seu dog sitter, essas informações ajudarão a manter seu cão equilibrado, e também ajudará o cuidador no dia a dia. Caso o cuidador seja alguém que não esteja familiarizado com cães, você mesmo poderá dar algumas dicas sobre o seu cão, e sobre os cuidados na casa.

5- Relaxe!: Se você tiver tomado todas as medidas acima, você garantirá uma experiência agradável para o seu cão enquanto você estiver fora, então aproveite o seu tempo e sua viagem.

Fonte: Cesar’s way